Economia Circular da Moda de Luxo

O novo luxo e as transformações no consumo da moda.

Foto: Pinterest/ Acervo Reprodução

A expansão da internet proporcionou um aumento do conteúdo de moda e como consequência o aumento do desejo do consumo. Logo o mercado fast fashion percebeu uma oportunidade para atender este público com desejo de consumir um produto que ainda nem havia chegado nas vitrines brasileiras.

 As grandes lojas de varejo, popularmente conhecidas como lojas departamento, podemos citar as do grupo Inditex–– Zara, Bershka, Oysho e outras., H&M, Primark, C&A, Renner, Riachuelo e tantas outras conhecidas pelo modelo de produção fast fashion possibilitaram o consumo das tendências mais atuais do universo da moda a preços mais acessíveis que as grandes marcas de luxo internacionais. Esta nova cadeia de distribuição, mais rápida e mais barata, intensificou a produção dos produtos têxteis e consequentemente estimulou o consumo massificado. 

Embora esse modelo tenha contribuído para que a moda rompesse desafios geográficos e sociais, os prejuízos ambientais da cadeia têxtil e as condições de trabalho exploradas para manter a cadeia competitiva desse setor tem promovido calorentos debates perante um novo comportamento de consumo em ascendência que demanda empresas com mais responsabilidades ambientais e sociais.

 

Foto: Acervo

A busca por um consumo mais consciente abriu oportunidades para novos mercados com o propósito de promover a sustentabilidade ao diminuir a cadeia produtiva altamente poluente e ao reduzir o descarte em aterros clandestinos.

Foto: Pinterest/ Reprodução

Esses novos mercados, conhecidos como economia circular, deram espaços as lojas que vendem produtos usados e em excelente estado de conservação­­– que são os famosos brechós. Outro mercado em ascendência é o aluguel de roupas por assinatura, algumas vezes chamado de Netflix das roupas. Nesse modelo o cliente paga um valor mensal que dá a ele o direito de uso de todas as roupas disponíveis no plano contratado.

Os produtos de marcas luxuosas são os mais procurados nos mercados de economia circular por serem produtos de desejo e com preços mais acessíveis. Para muitos, usar uma roupa de marca simboliza o pertencimento à um grupo social e muitas vezes até a realização de um sonho.

 

Foto: Acervo Modear
Foto: Acervo Modear

 

Dentro dessa proposta de economia circular com apelo sustentável e econômico criamos a Modear, um outlet que vende roupas femininas de marcas de luxo nacionais de coleções passadas e ponta de estoque. As nossas clientes podem comprar roupas das marcas mais famosas e luxuosas do Brasil com preços baixos e com descontos que chegam até a 90% off.

Ao vendermos uma roupa estamos promovendo a inclusão social através da moda ao mesmo tempo que reduzimos a cadeia produtiva ao oferecer para a cliente roupas de qualidade que já foram produzidas e estavam fora das vitrines. Dessa maneira, ao comprar conosco, a nossa cliente adquiri roupas de altíssima qualidade com caimentos impecáveis que expressam os seus gostos e desejos mais refinados ao mesmo tempo que permite se apresentar para a sociedade da maneira que ela quer ser vista e os seus posicionamentos perante uma cadeia da indústria têxtil mais sustentável.  

Visite nosso site www.modear.com.br ou nos contate clicando aqui!

 

louaneb

Deixe uma resposta