Como os Desfiles de Moda se Reiventaram na Pandemia

O isolamento social trouxe à tona uma nova perspectiva e novos desafios às apresentações.

Chanel Verão 2021/ Instagram: Reprodução

Os desfiles e Fashion Weeks são um dos mais importantes setores no mercado de moda. Um desfile de uma grife ou uma semana de moda do circuito internacional é a razão de milhares de pessoas se moverem para uma cidade, movimentar milhares de profissionais e gerar um altíssimo valor de mídia e engajamento nas redes sociais. 

O isolamento social que a pandemia impôs trouxe à tona uma nova perspectiva e novos desafios. Nesse momento de crise, no qual grandes marcas estão vendo seus números caírem absurdamente e marcas independentes perdendo sua visibilidade e, consequentemente suas vendas, as semanas de moda precisaram ser reinventadas. Então como as marcas estão agindo para apresentar coleções de um modo que impactem tanto quanto os desfiles tradicionais?

Em março, a Shanghai Fashion Week foi a primeira a realizar um evento inteiramente digital, com mais de 150 designers fazendo livestream de suas coleções na plataforma de e-commerce Tmall, seguido pela London,  Paris e Milan Fashion Week que apostaram na mesma abordagem de forma híbrida para os desfiles Cruise. 

A Prada juntou diferentes olhares de cinco artistas sobre a mesma coleção em um curta. A Gucci usou uma perspectiva dos processos de backstage com uma transmissão ao vivo de 12 horas e  apresentando os próprios estilistas da marca como modelos para as peças criadas por eles mesmos. Já a Margiela divulgou um documentário que mostrava etapas dos processos criativos e a própria coleção, enquanto a Loewe desenvolveu uma experiência sensorial com seu Show-In-a-Box e um conteúdo de 24 horas em seu site,  destacando seus processos. 

Prada Verão 2021 / Instagram : Reprodução
Gucci Resort 2021 / Instagram : Reprodução

A.NIEMEYER

Calça Cenoura Cintura Alta A.Niemeyer Marola Roxo e Preto

R$ 289,90 

LILLY SARTI

Vestido Feminino Lilly Sarti Vivo Preto 

R$ 599,90

Podemos dar outros exemplos, como a Dior, que lançou sua coleção masculina em formato de vídeo, enquanto na coleção Cruise Maria Grazia Chiuri optou por um desfile físico em Lecce na Itália, onde colocou em evidência a tradição local da principal cidade da península salentina sem convidados e transmitido ao vivo. Valentino resolveu criar uma apresentação metade ao vivo e metade digital, revelando obras de arte que vestiam as modelos acima de pedestais e balanços, tendo na primeira parte, digital, os vestidos servindo como uma tela em branco para projeções que estampavam cada uma das peças, e na segunda parte, ao vivo, os vestidos foram mostrados em detalhes.

Valentino Inverno 2021 / Instagram : Reprodução
Dior Cruise 2021 / Instagram : Reprodução

IORANE

Vestido Feminino Curto Iorane Floral Lavanda Branco

R$ 199,90

A.NIEMEYER

Vestido Feminino Midi A.Niemeyer Onshore Caramelo

R$ 599,90

Outras marcas como Chanel e Louis Vuitton apresentaram suas coleções Cruise  através de lookbooks e vídeos nas redes sociais. Já Saint Laurent lançou um vídeo chamado “No Mather How Long The Night Is” filmado nas cidades de Paris, Nova York e Pequim e estrelado por modelos e praticantes de parkour para o verão 2021.   Burberry apresentou seu desfile-performance ao ar livre no dia 17 de setembro sem convidados e transmitido ao vivo.

Novos formatos trazem novas possibilidades e momentos de crise como o que vivemos podem criar espaço para o surgimento de inovações, porém é uma questão complexa. Parte do que faz um desfile relevante é a experiência: roupas, styling, make, cenário, música, modelos e plateia. As tentativas de adaptação digital dividiram esses aspectos ao ponto dos mesmos perderem um pouco do interesse do público. Além disso, toda uma cadeia de profissionais e as próprias marcas são prejudicadas economicamente com o fim dos desfiles presenciais.

Jacquemus Verão 2021 / Youtube : Reprodução
Chanel Verão 2021 / Youtube : Reprodução

IORANE

Vestido Longo Fenda Gloss detalhe Costas

R$ 359,90

GIG COUTURE

Vestido Feminino Gig Couture Poland Rosa

R$ 899,90

Segundo a agência de rastreamento Tribe Dynamics, os desfiles de Milão, Paris e Londres, realizados entre junho e julho, tiveram apenas 1/3 do engajamento e repercussão das edições passadas. Essa resposta da audiência deve incentivar uma volta aos desfiles tradicionais, o que já estava sendo feito e previsto por várias labels.

Houveram marcas que optaram por desfiles físicos com platéia,  tais como Dolce & Gabbana, Etro, Jacquemus e Jason Wu, que abriu o NYFW no dia 13/09 e contou com poucos convidados que mantiveram distância uns dos outros num espaço ao ar livre. O evento de Nova York confirmou a realização da edição de verão 2021 com desfiles presenciais e transmissão ao vivo, porém com a ausência de grandes nomes, como Marc Jacobs, Ralph Lauren, Pyer Moss, Michael Kors, Oscar de la Renta, etc, que provavelmente irão seguir o próprio calendário.

A Fendi também confirmou sua apresentação presencial em setembro na cidade de Milão por acreditar na importância dos desfiles para a recuperação de toda a cadeia de moda. A Milan Fashion Week, que teve sua temporada masculina de verão em junho totalmente digital em virtude da pandemia, confirmou seu verão 2021. O evento conta com uma mistura de apresentações digitais e desfiles presenciais, tendo destaque para a estreia de Raf Simmons na Prada. 

Burberry Verão 2021 / Instagram : Reprodução
Jason Wu Verão 2021 / Instagram : Reprodução

A.NIEMEYER

Jaqueta Jeans Feminina A.Niemeyer Dip Dyed

R$ 399,90

IORANE

Blusa Com Babado Iorane Um Ombro

R$ 129,90

O futuro dos desfiles ainda é incerto, apesar das tentativas do mercado em restabelecer o sistema tradicional. O que é certo são as novas possibilidades e estratégias híbridas que as marcas estão testando, o que pode levar a novos formatos para realizar as apresentações.

Como disse Paulo Borges, fundador e diretor criativo da São Paulo Fashion Week, que teve sua última edição cancelada, “Continuamos diariamente no papel de escuta e conexão. Pensando e propondo caminhos que sejam seguros do ponto de vista humano, afetivo e colaborativo, assegurando o desenvolvimento do setor criativo da moda no país. Digo desde sempre que entrei na moda por causa das pessoas. Talvez este seja o momento mais importante para cuidar e transformar.” 

Fontes:

https://ffw.uol.com.br/noticias/moda/com-distanciamento-social-jason-wu-abre-a-nyfw-com-desfile-presencial-assista/

https://ffw.uol.com.br/noticias/moda/couture-e-feita-para-sonhar-descubra-a-nova-colecao-da-valentino-por-pierpaolo-piccioli/

https://ffw.uol.com.br/noticias/moda/london-fashion-week-fara-semana-de-moda-digital-sem-genero-dominante/

https://www.revistalofficiel.com.br/fashion-week/etro-marca-a-era-pos-pandemia-com-desfile-nao-digital-da-semana-de-moda

https://ffw.uol.com.br/noticias/moda/saint-laurent-revela-colecao-de-verao-2021-em-video-filmado-em-paris-nova-york-e-pequim/

https://vogue.globo.com/moda/noticia/2020/05/reflexao-como-sera-moda-pos-pandemia.html

https://elle.com.br/moda/alta-costura-em-quarentena

louaneb

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s