Sustentabilidade na Moda

Como as marcas tem solucionado o problema ambiental em sua produção

MSGM Fantastic Green 2021/ Vogue Itália: Reprodução

A sustentabilidade na indústria da moda está em debate desde a década de 60, entretanto durante a pandemia essa pauta se tornou mais urgente do que nunca. A indústria têxtil é uma das mais poluentes do mundo, o processo de fabricação dos tecidos consomem em média 93 trilhões de litros de água anualmente e emitem 5% (1,715 bilhão de toneladas) em média das emissões de carbono mundial, contribuindo tanto para a escassez de água quanto para as mudanças climáticas. 

O processo de tingimento dos tecidos chega a produzir bilhões de litros de água residuais contaminadas quimicamente e na maiorias das vezes essas águas residuais são despejadas clandestinamente em rios. Os impactos do mercado da moda no meio ambiente estão em conflito com uma sociedade cada vez mais preocupada com o ecossistema e está despertando um senso de urgência para uma produção mais eco-friendly.

No contexto atual, a pandemia do novo coronavírus trouxe a sustentabilidade ainda mais à tona. Como uma ameaça imediata à saúde de todos, a crise demonstra como somos seres frágeis e como o nosso bem-estar depende de um ambiente social e ambiental saudável. “A crise atual escancara a necessidade de transparência por parte das marcas, que terão de lidar com um consumidor mais consciente, inclusivo e diverso”, disse Chiara Gadaleta, fundadora  do Ecoera, um movimento de consciência ambiental focado em moda, beleza, design e gastronomia. 

Stella McCartney Spring 2020 – 71% de Materais Ecológicos / Vogue Runway: Reprodução
Levi’s – Jeans feito de Algodão e Circulose Orgânicos / Instagram : Reprodução

IORANE

Saia Feminina Lápis Cintura Alta Iorane Bandagem Dourada

R$ 89,90

A.NIEMEYER

Calça Jeans Claro Feminina Cenoura Cintura Alta A.Niemeyer Marmorizada

R$ 289,90

Existem várias maneiras de se construir uma produção eco-friendly. Enquanto a “Fast Fashion” descreve roupas feitas de maneira barata e destinadas ao uso de curto prazo, a moda sustentável (ou “ética”) é o oposto e às vezes chamada de “Slow Fashion”. Essa cadeia leva em consideração o ciclo de vida completo do produto – desde o design, passando pela processos da produção, pelos trabalhadores, consumidores, até o meio ambiente.

O potencial dos negócios sustentáveis ligados à moda é grande, e embora não haja roupas 100% ecológicas, existem marcas que trabalham para ajudar a fazer a diferença. Temos alguns exemplos: A Armani, criou o jeans ecologicamente correto produzidos com algodão orgânico. Outras grifes famosas internacionais como Levi Strauss, utilizam uma política de usar a menor quantidade de água possível, enquanto Gap e Nike também fazem parte da moda ecológica.

Outro grande exemplo é a Kering, holding francesa que conta com  grandes marcas do mercado de luxo, como Gucci, Alexander McQueen, Saint Laurent e Balenciaga. A empresa criou um Departamento de Sustentabilidade que erradicou o uso de PVC de 99,8% dos produtos e organizou uma espécie de biblioteca têxtil apenas com tecidos de fontes sustentáveis. Stella McCartney também faz parte da holding e é uma das marcas pioneiras da moda sustentável, tendo ações eco-friendly desde a sua criação. A grife é vegana e todos os produtos são feitos com tecidos de matérias-primas ecológicas, como nylon e poliéster reciclados e algodão orgânico. 

Armani Autumn 2020 – Materiais Reciclados – L’ Officiel : Reprodução
Osklen Inverno 2018 ASAP – E-fabrics / Instagram : Reprodução

IORANE

Calça Feminina Flare Iorane Veludo Azul

R$ 99,90

UMA

Saia Feminina UMA Puvera Branco

R$ 179,90

A Zara anunciou que até o ano de 2025 pretende utilizar somente tecidos sustentáveis na confecção das suas peças, e para representar o Brasil, temos a Osklen, que investe em projetos socioambientais na moda desde 1998, apostando em coleções sustentáveis e apoiando iniciativas em prol do meio ambiente. A grife diz estar atrelada ao lema ASAP que, em português, significa “Sustentável O Quanto Possível, O Mais Rápido Possível”. Outra marca brasileira que se destaca é a Reserva, que possui peças com lucro revertido para ONGs e linha feita a partir de algodão reciclado. A empresa também incentivou projetos de reflorestamento e doação.

Devido à crise climática atual, a Gucci está se tornando carbon neutral, minimizando todas as emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) de suas operações e de toda a cadeia de suprimentos. Outra marca que andou na mesma direção foi Gabriela Hearst, que apresentou o primeiro desfile carbon neutral durante o NYFW. Em 2011 a Puma foi a primeira marca a aderir o EP&L (The Environmental Profit & Lost/Lucros e Perdas Ambientais), que mede desde as emissões de carbono, o consumo de água, a poluição do ar e da água, até o uso da terra e a produção de resíduos.


Outra ação que foi extremamente relevante na indústria da moda foi o Fashion Pact, um mix de iniciativas que podem ser adotadas com o objetivo de reduzir o impacto ambiental apresentado na cúpula do G7. O pacto foi liderado por François Henri Pinault, CEO da Kering, que por meio do presidente francês Emmanuel Macron, teve a ideia de reunir os principais elos do mercado para assinar o tratado, que foi aderido por gigantes como Gucci, Puma, Adidas, Chanel e Prada. Entre as iniciativas que serão promovidas neste pacto estão a eliminação de plásticos de uso único, uso de fontes de energia renovável, promoção de práticas de agricultura regenerativa e reciclagem de tecidos.

Gucci – Off the Grid 2021- Primeira coleção sem emissão de carbono / Instagram : Reprodução
Rixo Recycle Coleção Cápsula – Tecidos reciclados / Instagram : Reprodução

UMA

Calça Feminina Pantalona UMA Agnes Areia

R$ 299,90

LILLY SARTI

Vestido Feminino Lilly Sarti Vivo Rosa

R$599,90

O ano de 2020 também não deixa a desejar quando o assunto são iniciativas, coleções e projetos inovadores dedicados a moda sustentável. Como por exemplo, Herno Globe propôs duas jaquetas bomber e dois casacos acolchoados, ambos do tecido Fulgar: um náilon 20 denier – exclusivo internacional da Herno – que conta com o uso de Amni Soul Eco®, um fio biodegradável de poliamida 6.6. Outro destaque vai para a MSGN, que lançou uma coleção cápsula chamada de Fantastic Green. Moletons, camisetas, calças e shorts foram inteiramente confeccionados em fibra de algodão orgânico certificado (GOTS e BCI), além de usarem tingimentos especiais que são capazes de trazer o nível de emissão de poluentes para perto de zero. 

A marca Rixo apresentou uma coleção cápsula de roupas feitas com tecidos reciclados com 10 peças recortadas de materiais encontrados em uma fábrica indiana, enquanto Stella McCartney lança a coleção cápsula Stellawear, que apresenta peças reversíveis e permite criar looks sempre diferentes com materiais respiráveis ​​e inovadores em termos de sustentabilidade, incluindo o fio de modelagem AQUAFIL, a fibra ROICA Náilon regenerado Eco-Smart e ECONYL, feito com plástico recuperado dos oceanos e outros resíduos têxteis.

Embora as marcas estejam se movimentando para implantar uma cadeia de produção eco-friendly, a indústria da moda ainda está longe de ser sustentável e há muito espaço para inovação. O debate sobre a sustentabilidade na moda precisa envolver, além dos consumidores e das marcas, também as indústrias e os governos federais, estaduais e municipais para que haja um alinhamento integrado das estratégias e dos objetivos a serem alcançados de maneira que os selos e títulos verdes não se tornem mais uma iniciativa de propaganda nas prateleiras e com resultados de baixo impacto. Para isso é imprescindível que a sociedade e os clientes continuem pressionando e buscando por produtos provenientes de uma cadeia socioambiental.

Fontes:

https://www.refinery29.com/en-gb/carbon-neutral-fashion-brands

https://www.vogue.it/moda/gallery/moda-sostenibile-2020-progetti-e-capsule-collection?image=5f589c18781357c802534931

http://www.greenstrategy.se/sustainable-fashion/seven-forms-of-sustainable-fashion

forbes.com.br/negocios/2020/05/como-o-coronavirus-transformara-a-industria-da-moda-em-sustentavel/

medium.com/@renoon/why-are-your-fashion-brands-turning-carbon-neutral-18513eb5de4d

http://www.redalyc.org/pdf/5140/514051625013.pdf

louaneb

Deixe uma resposta